Análises Anime Games Nintendo PC Playstation Sony Xbox

Análise | Attack on Titan 2: Final Battle

  • Compartilhe:
Pop Art SkinsPop Art Skins

Desenvolvido pela Omega Force e publica do pela Koei TecmoAttaack on Titan ou Shingeki no Kyojin para os íntimos, é um game baseado no anime de mesmo nome, onde vem sendo um dos maiores sucessos dos últimos anos, este formidável anime vem conquistando cada vez mais fãs por todo o mundo, Attack on Titan 2: Final Battle é uma versão definitiva do jogo “Attack on Titan 2”, lançado em 2018. O game está disponível para PlayStation 4, Nintendo Switch, Xbox One e também no PC Windows através da Steam. 

Enredo 

A história gira em torno de criaturas humanoides gigantes intituladas Titãs que se alimentam de carne humana, suas aparições aconteceram a cerca de 100 anos atrás e devastaram tudo e a todos. Sem alternativas a humanidade que sobreviveu criou muralhas colossais, sendo dividas em três redomas, uma dentro da outra, quanto maior sua classe social ou influencia mais ao centro vivem e, portanto, mais protegidas ficam. 

 

O início da história tanto do anime quando do game acontece quando um Titã, dezena de vezes maior que os Titãs normais, aparece e quebra a primeira muralha abrindo espaço para as criaturas entrarem, criando um verdadeiro inferno para todos que lá habitavam. 

O que  de novo! 

Após um ano do lançamento de Attack on Titan 2, à desenvolvedora Omega force deu à aventura “hack and the slash” uma atualização definitiva, Attack on Titan 2: Final Battle  implementa novos personagens e cenários com base na 3ª temporada do anime, além de novas armas e dois modos de batalha.  

Aproveitando o hype do final da terceira temporada, o game traz duas principais novidades, adição de um novo modo chamado Territory Recovery e conteúdo voltado a 3ª temporada do anime no modo história. Estes conteúdos chegam para tentar resolver uma das maiores reclamações dos jogadores que adquiriram o título em 2018, que foi a falta de conteúdo presente no game. 

3ª temporada 

O modo história é um dos pontos fortes, por mais que os fãs do anime já saibam todo o desenrolar da história, no game nosso personagem não assume o papel do protagonista Eren Jaeger” mas sim um novo cadete da tropa que caça os Titãs, esta escolha de não ser o protagonista nos oferece reviver os principais eventos, mas com uma perspectiva totalmente diferente, criando novas interações dos jogadores com a história. 

Diferentemente das duas primeiras temporadas que foram voltadas para dar mais espaço para o personagem que criamos, a terceira temporada tem sua divisão em forma de capítulos seguindo as histórias dos personagens principais presentes no anime, isto impossibilita que o personagem que criamos participe destas etapas, a única parte boa nesta decisão é que proporciona uma média de seis a oito horas de conteúdo novo no game. 

Territory Recovery 

Este modo permite criar seu próprio regime para recuperação os locais tomados pelos Titãs, são mais de 40 personagens diferentes para recrutar, cada um com habilidades diferentes oferecendo muitas combinações, nos levando a ter vários estilos de jogabilidade no esquadrão. Este novo modo oferece mini missões que permitem trazer mais algumas horas para o jogo.  

Novas Armas 

 Além das armas já encontrados nos jogos anteriores, temos a introdução das armas de longo alcance o que muda totalmente a forma que os jogadores encaram as batalhas contra os Titãs, criando uma nova dinâmica no sistema de batalha. Após ser muito aguardada Thunder Spears, arma clássica no anime, foi trazida para o game proporcionando maneiras mais eficazes de abater estes monstros. 

Vale a pena? 

Por mais que Attack on Titan 2: Final Battle ofereça novos ótimos conteúdos para a história, dois novos modos e a introdução de armas que alteram a dinâmica da batalha, não podemos negar que este games chega para corrigir a falta de conteúdo existente em seu antecessor Attack on Titan 2, mas infelizmente chega um pouco tarde demais além de sofrer o mesmo problema, quedas de framerate encontrado no game anterior. 

Outra escolha que acaba diminuindo o vínculo que o jogo criou com os jogadores, é a de alterar o ponto de vista das duas primeiras temporadas para a terceira, aquela visão dos acontecimentos de um ângulo diferente é alterado drasticamente, para dar lugar aos personagens existentes no anime, isto acaba deixando toda a jornada conquistada pelo nosso personagem ofuscada e sem relevância nesta terceira etapa.  

Mas em contrapartida é inegável que Attack on Titan 2: Final Battle continua sendo uma das melhores adaptações de animes para os games. 

Publicado em 20 de julho de 2019 às 08:07h.
2019-07-20 08:07:09