Análises Games PC PlayStation Xbox

Análise | Call of Duty: Black Ops 4

  • Compartilhe:
Pop Art SkinsPop Art Skins

Mais um ano e mais um Call of Duty chega para a alegria dos fãs da franquia e de jogos FPS. Desenvolvido pela Treyarch, o Call of Duty: Black Ops 4 traz muitas novidades em comparação com os jogos anteriores, e algumas delas são mudanças e novidades nunca vista antes.

Não há uma narrativa central, pois não existe uma campanha, mas o Black Ops 4 constrói um mundo incrível com tópicos interessantes vistos ao longo de cada modo oferecido. A Treyarch junto com a Activision optou por seguir uma tendência de mercado, trazendo o primeiro Call of Duty com o Battle Royale.

Com os clássicos modos multiplayer e zumbis, há muito o que ver e fazer em Black Ops 4. E enquanto a jogabilidade ainda é a já reconhecida e única de Call of Duty, algumas mudanças importantes definem esse game como o boots on the ground (combate pé no chão). Enquanto o jogo parece coeso em geral, cada modo oferece uma experiência diferente para cada tipo jogador.

Modos

Multiplayer

O Black Ops 4 não tem um modo campanha. Um dos motivos disso foi o modo battle royale e um maior foco para o multiplayer segundo a Treyarch. A desenvolvedora pegou as coisas que boas que fez com o Black Ops 3, como a volta dos especialistas, entre outras coisas.

 

Uma das maiores novidades é que agora temos 150 pontos de vida (em vez de 100 que é o padrão de Call of Duty) mantendo o dano praticamente o mesmo que nos jogos anteriores, então o time to kill, ou seja, o tempo que você precisa matar um inimigo, é maior que nunca. Isso torna o COD mais estratégico e menos frenético. Ainda mais se levarmos em conta que shotguns, snipers e certas armas de especialistas ainda podem acabar matando em um único tiro.

Outra mudança é dada pela névoa da guerra (Fog of war). Em outras palavras, no mapa, você verá apenas as partes do nível dentro do cone óptico de cada um dos jogadores do seu time, deixando invisíveis todos os inimigos que ainda não foram identificados. Para melhorar a situação, existem algumas vantagens ou especializações que podem aumentar a visibilidade no mapa. Além disso, você pode usar o já conhecido e velho UAV, mais e mais fundamental para vencer.

A recuperação da saúde do soldado, por outro lado, não é mais automática, isso o multiplayer e no Blackout, mas você deve ativá-la manualmente. Isto é, que curar ou recarregar armas é uma decisão tática que você deve tomar de acordo com a situação da batalha.

As variadas classes de Especialistas também fazem diferença no multiplayer. Cada um desses soldados vem equipado com diferentes armas pesadas e explosivos. A composição da equipe pode ser a chave para uma vitória decisiva. Como a maioria das experiências multiplayer,  Black Ops 4  é melhor em equipe, mas isso não significa que os jogadores sozinhos não podem se divertir, mas uma equipe faz toda a diferença.

Blackout

O sucesso de PUBG, mas acima de tudo do Fortnite, não poderia deixar de atrair uma editora que sempre foi muito atenta (e exigente) ao mercado. Aqui, portanto, que Blackout segue as diretrizes do gênero e adiciona alguns elementos típicos dos jogos da Treyarch.

A inspiração é claramente mais o PUBG do que o jogo da Epic Games e sua abordagem “militar” e mais realista ao gênero. Portanto, nenhuma construção, em Blackout 100 jogadores competirão para descobrir quem é o melhor sobrevivente.

O Blackout traz a brilhante mecânica de tiro do PVP tradicional em uma arena maior e extensa. As áreas interconectadas neste mapa parecem muito bem feitas, já que no mapa do battle royale temos diversos mapas clássicos de Black Ops. Estar dentro de um hangar ou andar por um campo aberto exige táticas diferentes, e o Blackout oferece as opções para se adaptar rapidamente.

Veículos, preks, armas e os zumbis devem se unir para o jogador encontrar a melhor tática. Todos começam com o mesmo caractere padrão, coletando equipamentos enquanto atravessam o mapa massivo.

O mapa não é grande demais para qualquer jogo ficar tedioso, nem muito pequeno para que haja apenas espaço para tiros. Tem o tamanho exato para garantir uma experiência mais tática, ou de jogadas rápidas. Ele funciona igualmente bem tanto para 88 jogadores nos singles ou em pares, ou para os 100 jogadores que acabam se encontrando em grupos de quatro.

Obviamente o modo tem seus problemas. As recompensas parecem muito escassas, especialmente ao ganhar um jogo, e a progressão é muito lenta; embora isso seja resolvido jogando mais e mais. Ainda não está claro como a Treyarch enfrentará seus planos de pós-lançamento para tudo relacionado ao Blackout, e se haverá mais mapas ou se atualizações serão feitas sobre o que já sabemos para mantê-lo vivo.

Nesse sentido, colocar o caso da Epic Games é um exemplo de como fazer as coisas com a Fortnite em termos de suporte, mudanças, adições e constantes eventos temporários que ajudam a alimentar sua grande comunidade. Se o estúdio da Activision seguir seus passos, teremos muita coisa boa e muitos jogadores durante um longo período.

Zumbis

O último pilar do Black Ops 4 é dado pelo modo zumbi. Neste caso também, a Activision parece ter dado carta branca para a Treyarch que, em resposta, criou três campanhas diferentes em termos de estética e estrutura. IX é plana e circular, com inimigos inspirados naqueles da tradição romana dos gladiadores. Voyage of Despair se passa em um Titanic com muitos zumbis. O mapa é estreito e longo e cheio de portais. Blood of the Dead está situado na prisão de Alcatraz, um lugar grande e variado, que na verdade esconde um terrível laboratório secreto e várias personalidades conhecidas.

Em termos de ambientes, eles são diferentes um do outro. As armas são muito parecidas, e os tipos de inimigos são idênticos mudando apenas sua aparência, então o desafio da luta é o mesmo em cada uma das três campanhas. No entanto, o mais legal do modo é, como sempre, descobrir segredos , resolver quebra-cabeças e tentar desvendar todos os mistérios que estão escondidos em cada cenário.

Gameplay e gráficos

O tamanho e a otimização do mapa do Blackout são, talvez, os dois resultados mais surpreendentes alcançados pela Treyarch. Desde o início dos tempos, a série Call of Duty é famosa por seus pequenos mapas e jogabilidade rápida. A equipe de desenvolvimento conseguiu modificar seu motor para criar um mapa enorme e complexo como o de Blackout, no qual dirigir carros, caminhões ou helicópteros é incrivelmente fácil e muito divertido.

Claro, o modo zombies é mais colorido e bonito, por se tratar de algo menor, se comparado ao Blackout, onde temos um mapa extremamente grande e a Treyarch fez um belo trabalho gráfico, por mais que tenhamos gráficos um pouco abaixo do nível, mas que não mudam ou pioram a gameplay.

Finalizando

Mesmo sem uma campanha singleplayer, o Call of Duty Black Ops 4 garante uma mistura de modos e experiências variadas e de alto nível. A Treyarch parece ter feito um bom trabalho para fazer com que cada componente corresponda às expectativas.

O modo zombies e o multiplayer parecem a evolução natural do que tornou a série Call of Duty famosa no mundo, Blackout é a novidade bem vinda, que trouxe um modo já conhecido para o mundo do COD. Aqueles que gostam de tiro em primeira pessoa vão encontrar uma quantidade de conteúdo realmente amplo e muito bom, as únicas dúvidas dizem respeito ao modelo econômico proposto por Activision, muito tradicional, mas talvez mal adequado para desafiar Fortnite e PUBG com seu próprio battle royale.

Se você está interessado apenas em experiências solo, não há espaço para você neste videogame, mas se você é um fã de Call of Duty você não encontrará nada muito melhor do que o Call of Duty: Black Ops 4.

Call of Duty: Black Ops 4 foi cedido pela Activision para PlayStation 4.


Para mais informações sobre games, acompanhe a Manual no Facebook, Twitter, Instagram e através de nosso canal no Youtube.

Publicado em 22 de outubro de 2018 às 13:39h.
2018-10-22 13:39:45