Análises Games Microsoft PC Xbox Xbox One Xbox Series X

Análise | Call Of The Sea

  • Compartilhe:
Pop Art SkinsPop Art Skins

Opa, opa, opaaaa, olha quem tá aqui escrevendo para vocês novamente, eu mesmo, o Raffa! É tão legal escrever desse jeito, todo informal, acredito que torne todo conteúdo mais interessante, e não aquele texto todo técnico, bom mas vim aqui hoje falar do Call Of The Sea, um jogo super intrigante, cheio de mistérios e quebra-cabeças e uma história super interessante, então antes de começar já sabe, se acomode onde estiver, se hidrate e vamos pegar um navio e zarpar para uma ilha próxima ao Taiti em Call Of The Sea.

Como tudo começa?

Tudo começa em um navio com nossa personagem principal cujo nome é Norah, está tendo sonhos bizarros de lugares que ela diz recordar por sonhar com eles desde que a mãe dela faleceu e deixou uma caixa de música pra ela, uma observação que ela faz é que a família dela tem uma “doença” que está ligada ao sonho, o game traz um background bem grande através de registros de diário, e tudo que você faz ou pensa dialogando no jogo, é registrado, todas as observações de moradores que ela conversou e muito mais, enfim encontramos um capitão que leva nossa personagem para uma ilha perto do Taiti, estamos em busca do nosso marido que faz um ano que não temos notícias, ele partiu para a ilha em busca de respostas para a doença de Norah e enviava cartas para ela, contando sobre suas buscas e de uma hora para outra as cartas pararam de chegar e Norah decide ir atrás para ver o que ele descobriu e se o encontramos, então partimos para a ilha.

Chegando na ilha nossa personagem faz observações sobre a o lugar ser exatamente como ela sonhava, e que aquilo poderia significar alguma coisa muito importante e não apenas uma mera coincidência, então chegando a ilha começa a gameplay de verdade, é sempre muito importante reparar bem nas legendas para entender o que está acontecendo, afinal Call Of The Sea é um jogo cheio de mistérios e narrativas que vão ficando mais difíceis ao decorrer da gameplay, o bom é que temos o diário e várias observações para consultar a todo momento para resolução dos quebra-cabeças, este é um jogo pra fugir do padrão, aventura e quebra-cabeças se envolvem em uma história que te deixa curioso, querendo saber mais e mais, imagine-se jogando um livro, onde o escritor conta o que está acontecendo e você imagina a cena detalhadamente, em Call Of The Sea é mais ou menos isso, pra ser mais especifico esse jogo me lembrou alguns dos livros de Júlio Verne, então se você gosta de leitura, desafios e uma história misteriosa, esse jogo meus queridos e queridas são pra vocês.

Eu amo jogos com história e mistério, se for de terror eu me apaixono mais ainda, sou um grande fã de Silent Hill, Resident Evil, jogos que unem uma ação com mistérios e puzzles, mas calma jovens gafanhotos, Call Of The Sea não é de terror, pode jogar com família toda, e é bom que todo mundo ajuda a resolver os quebra-cabeças que ficam muito difíceis, o jogo é aventura + mistérios onde você precisa soluciona-los para progredir na história, uma viagem maravilhosa principalmente pra quem gosta de livros como mencionei anteriormente, quando você consegue resolver os quebra-cabeças, as peças começam a se encaixar, eu me apaixonei pelo jogo, cada canto que você explora da ilha pode ter uma pista de onde está seu marido, ou que ele já passou por ali, e você vai se enfiando na história e mais puzzle, mais fragmentos da história, cada pedacinho do mapa pode ter algo importante ou apenas uma história sobre pra que servia aquilo, por exemplo uma flauta, um barquinho entalhado, ferramenta de entalhes, ou pode ter uma gravação do que aconteceu em uma fita, em um documento, por isso minha dica pra vocês é, preste atenção nos diálogos, Norah te ajuda a entender para qual caminho você deve seguir, bom mas da história eu acho que já dei um bommm ponto de partida, vamos aos pontos técnicos.

Quais os aspectos técnicos do jogo?

Em relação aos gráficos de Call Of The Sea, simplesmente incríveis, nada de ultra realista, é mais puxado pro cartoon, como Fortnite, ou até mesmo Sea of Thieves, mas eu amo esses gráficos, me lembra minha infância, pra ser mais específico me lembra estilo Tarzan, claro que muito melhor, um estilo mais refinado e 3D, cores extremamente vivas, paisagens maravilhosas que sem dúvida você vai querer tirar um print pra deixar registrado na sua galeria, eu gosto muito de tirar fotos dos jogos que estou jogando, de maneira a recordar aquele momento que passei, mas voltando a falar do visual de Call Of The Sea, existem momentos de cores vivas, momentos de cores frias onde o mistério parece se tornar algo místico, que você tem que entender e encaixar os quebra-cabeças para dar continuidade a gameplay, e claro que se tratando de um jogo que veio para nova geração também, ele não podia desapontar rodando no Xbox Series X.

Em relação ao áudio, são tão bons quanto os gráficos, quando você descobre um local, para construir uma atmosfera de “mistério” a música muda de acordo com cenário e tudo é condizente, pássaros, ambientação, água do mar, os ventos nas arvores, tudo é bem construído o que torna a imersão ainda melhor.

Como é a gameplay de Call Of The Sea?

A gameplay de Call Of The Sea é fluida, com comandos simples e fáceis de entender, você anda, interage com objetos no mapa como documentos, pistas de possíveis puzzle, objetos escondidos que no jogo se chamam “segredos” e descobrindo eles você pode ganhar uma conquista, o que não é tão fácil assim são os puzzles, pra quem gosta de um bom desafio, confesso que fazia muito tempo que eu não jogava algo desse estilo, estava com muita saudade de algo do gênero e Call Of The Sea foi um prato cheio de surpresas agradáveis, mas nem tudo são flores, teve momentos que fiquei horas perdido, tentando entender o quebra-cabeça pra conseguir resolver e avançar na gameplay, então pode ser que você seja uma pessoa que goste de quebra-cabeças, mas quando fica difícil de entender, a frustração é uma consequência natural, em certos momentos o jogo te coloca em um puzzle e você não sabe o que tem que fazer, precisa voltar todo caminho percorrido, vasculhar os cantos, achar imagens, totens, alavancas, desenhos, voltar e tentar, errar e tentar novamente, fazer anotações no diário e tentar interpretar essas anotações, pra algumas pessoas isso pode ser divertido e maravilhoso, como foi pra mim, mas para outras pode ser a gota d’água.

Bom, mas eai Raffa, vale ou não a pena meus dinheiros nesse Call Of The Sea? E a resposta é… simmmm, pra quem tem o console Xbox One ou o Xbox Series X, Call Of The Sea está incluso no Game Pass, o que é um ponto super positivo, pois sendo assim você não precisa desembolsar nadinha e pode desfrutar de um jogo maravilhoso cheio de mistérios, já para os jogadores de PC, a resposta também é sim, o jogo está disponível na Steam por apenas R$37,99 comparado com muitos outros jogos que são mais caros e não te proporcionam a diversão e desafios que Call Of The Sea vai te proporcionar, é um ótimo investimento.

 

 


Para mais informações sobre games, acompanhe a Manual no Facebook, Twitter, Instagram e através de nosso canal no Youtube.

Publicado em 8 de dezembro de 2020 às 19:54h.
2020-12-08 19:54:09