Análises Nintendo PC PlayStation Sony Xbox

Análise | Kaze and the Wild Masks

  • Compartilhe:
Pop Art SkinsPop Art Skins

Kaze and the Wild Masks é um jogo de plataforma 2D desenvolvido pela PixelHive, estúdio brasileiro. O título foi publicado pela Soedesco. Com uma forte pegada retrô, o jogo acaba sendo uma grande (e bela) homenagem a clássicos como Donkey Kong.

A Narrativa

Como já era de se esperar, a história de Kaze and the Wild Masks é bem simples. Kaze, a nossa protagonista, precisa salvar Hogo de vegetais terríveis. Para ajudar em sua jornada, Kaze vai encontrar diversas máscaras que possuem poderes místicos.

Apesar da simplicidade narrativa, a história é contada através de imagens belíssimas que reforçam o brilhantismo da direção de arte do game. Prepare-se pra ficar deslumbrado com as “aquarelas” da história.

Kaze and the Wild Masks 1

A Jogabilidade de Kaze and the Wild Masks

Agora entrando no que interessa. Kaze não esconde que a jogabilidade é sua estrela principal. As coisas funcionam de uma forma bem similar aos jogos do gênero. Você consegue pular e planar usando as orelhas, pular e golpear o chão e rodopiar eliminando os vegetais em sua frente.

Jogando como Kaze, tudo acontece de uma forma bem simples. Contudo, a jogabilidade cresce bastante quando as máscaras entram em ação. Como mencionei acima, as máscaras possuem poderes especiais. Ao usar elas, você incorpora guardiões sagrados, alterando drasticamente a jogabilidade.

Em uma fase, a máscara é a de uma espécie de Falcão, trazendo verticalidade e a necessidade de gerenciar bem o seu vôo. Em outra, você se transforma em um Tubarão, fazendo os combates e a exploração na água. O sistema funciona incrivelmente bem e traz uma variedade extremamente bem vinda ao Game! Ao todo são 4 máscaras distintas: Falcão, Dragão, Tubarão e Tigre.Kaze and the Wild Masks 2

Colecionáveis e Fator Replay

Como todo bom plataforma, Kaze and the Wild Masks usa seus diversos colecionáveis para incentivar o replay e aumentar seu tempo de duração. Ao todo são 4 colecionáveis: O Cristal Rosa é dado ao coletar 100 cristais na Fase. Existe um que desbloqueia uma imagem após você coletar as letras K-A-Z-E na fase. Outro colecionável é uma espécie de Jade. Cada fase possui duas salas bônus que as vezes estão muito bem escondidas. Cada sala concede uma parte da joia.

Por fim, temos a Coroa. Ela é concedida ao completar a fase sem levar dano. Caso você adore fazer 100% dos jogos, saiba que existem troféus de completar ele inteiro sem levar dano e um de speedrun, demandando que você complete o jogo em até 2 horas. Em suma, o jogo é repleto de desafios que vão te deixar ocupado por cerca de 10 a 15 horas caso você goste de ir atrás disso.

Caso não seja sua praia, zerar o jogo deve levar cerca de 3 a 4 horas. Logo, tenha isso em mente caso você decida comprar o jogo. Em minha opinião, a experiência tem a duração certa para não se tornar enjoativo. Como mencionei mais acima, no geral, a jogabilidade é bem simples e a narrativa quase não existe, logo alongar mais mundos poderia acabar gerando um desgaste em quem joga.

Kaze and the Wild Masks: Vale a Pena?

Kaze and the Wild Masks analise


Para mais informações sobre games, acompanhe a Manual no Facebook, Twitter, Instagram e através de nosso canal no Youtube.

Publicado em 29 de março de 2021 às 19:28h.
2021-03-29 19:28:05