Análises Destaque Jogos Nintendo PC Playstation

Análise | Mônica e a Guarda dos Coelhos

A Turma mais amada do Brasil volta a aparecer nos videogames. Dessa a baixinha, gorducha e dentuça terá a difícil tarefa de proteger o Bairro do Limoeiro de uma invasão alienígena! Mas é claro que ela não vai encarar essa missão sozinha, e ao lado dos nossos melhores amigos, Cascão, Cebolinha, Magali, Chico Bento e diversos outros queridíssimos personagens, vai enfrentar a desafiadora missão de manter o Bairro do Limoeiro a Salvo.

Idealizado pela Maurício de Sousa Produções e desenvolvido em parceria com a Mad Mimic em mais um plano infalível, Mônica e a Guarda dos Coelhos foi recentemente lançado para PC, Playstation 4 e Nintendo Switch. Trata-se de um Tower defense, que pode (e deve) ser jogado simultaneamente com até quatro pessoas.

A GUARDA DO COELHO

A história foi desenvolvida pelos roteiristas da Maurício de Souza Produções, e depois incorporada ao game em cutscenes no final de cada um dos quatro arcos. Os roteiristas explicaram que cada um dos arcos tem uma história própria, que eventualmente se entrelaçam no final do jogo.

Apesar de o roteiro do jogo ter sido desenvolvido pela própria Maurício de Souza Produções, ele não é lá grande coisa, mas dá o plano de fundo necessário para embasar o jogo, se é que esse tipo de jogo (Tower defense) precisa de algum. Todo o enredo se passa em um reino distante, onde Mônica, Cebolinha, Cascão e Magali deverão se unir para derrotar as forças do mal (feitas de lixo) que ameaçam a paz dos habitantes do lugar.

Turma da Mônica e a Guarda dos Coelhos segue o gênero de cooperativos locais, que pode ser jogado sozinho ou com até quatro amigos. O game play é bastante simples, cada um dos jogadores controlada um dos heróis do Bairro do Limoeiro, e terá que preparar as defesas do castelo para resistir as hordas de inimigos que atacarão de ambos os lados.

Apesar de poder ser jogado sozinho, este jogo foi completamente pensado parar ser aproveitado entre amigos, dividindo a boa e velha sala de estar. O castelo é defendido por intermédio de canhões posicionados em ambos os lados, cada um deles terá um alcance diferente e deverão ser equipados com pólvora e munição, e limpos após cada disparo.

Antes que as hordas de inimigos comecem a atacar o “castelo” você terá alguns minutos para se preparar, aqui e ao longo do combate, as tarefas devem ser divididas, além de equipar os canhões com pólvora, você e seus amigos deverão coletar “metal” e forjar um coelho de aço, após isso, esses “coelhos bala de canhão” pode adquirir um entre três atributos especiais: causar dano, reduzir a velocidade de avanço dos inimigos e repeli-los. A divisão de tarefas entre os players é fundamental!

Inicialmente você poderá jogar com a Mônica, Cascão, Magali e Cebolinha, e ao longo do game poderá desbloquear gradualmente até 15 personagens da turminha.

CONCLUSÕES

Apesar de apresentar uma dinâmica de jogo repetitiva, o jogo é bem polido e funciona bem o tempo inteiro, e é capaz de proporcionar boas horas de diversão em família.

O que poderia ser considerado como uma cópia de No Heros Here, também desenvolvido pela Mad Mimic, Mônica e a Guarda dos Coelhos consegue imprimir uma identidade própria, graças a verdadeira paixão de gente que, como eu, cresceu lendo os quadrinhos da Turminha.

Se você busca um jogo com multiplayer local, simples, rápido e divertido, que até mesmo o chato do seu irmão caçula e a seu avô vão conseguir jogar, definitivamente Mônica e a Guarda do Coelho é uma excelente opção.

Publicado em 21 de dezembro de 2018 às 22:59h.
2018-12-21 22:59:05

  • Compartilhe: