Análises Games Google Stadia Livros Microsoft PC

Análise | Nanotale: Typing Chronicles

  • Compartilhe:
Pop Art SkinsPop Art Skins

Opa! Olha quem voltou pra escrever pra vocês lindos e maravilhosos leitores aqui da Manual dos Games, o Raffa! (como se fosse grande coisa né? brinks) enfim estou de volta pra quem sentiu minha falta e até pra quem não me conhece ainda, prazer, eu sou o Raffa, gosto de escrever assim mais descontraído e conversando com vocês, acho que isso deixa a gente mais próximo (somos amiguinhos <3) chega de enrolar e vamos ao que interessa, hoje vou falar do Nanotale: Typing Chronicles.

Como é o universo?

Em Nanotale: Typing Chronicles você controla a Rosalinda e um RPG diferente dos convencionais, ela é uma bruxa arquivista que acaba de ganhar seu caderno de anotações e esta empolgada para começar a catalogar os mistérios da floresta magica, (ué, então é um RPG de escritório?) calma, calma jovem padawan, Nanotale trás uma mecânica que eu nunca tinha jogado, apenas visto em um jogo de terro que não me recordo o nome, a mecânica consiste em usar a digitação para tudo, você raramente vai usar o mouse como elemento do jogo, tudo nele é escrito, você escreve a palavra e magia acontece, literalmente.

Confesso que fiquei perdido no começo, está aqui um ponto que para mim precisava melhorar um pouco, o menu do jogo, ele é bem confuso e as teclas para movimentar o personagem também é confuso, começa como padrão pelo SFDE ao invés de ASWD, mas isso você consegue alterar nas opções, que também é um pouco confusa, mas da pra achar, então por isso o nome Nanotale: Typing Chronicles, tipo escrevendo crônicas, você escreve em todas as interações, como em combate, exploração, eu particularmente amei essa mecânica pois torna o jogo único e diferente dos padrões.

Rosalinda, uma novata na magia, aprendendo sobre as plantas, animais, e sobre o povo que se encontra na floresta magica, e por lá conhece o povo da floresta que idolatra a arvore da vida, Rosalinda coleciona dados de tudo que conseguimos interagir, plantas maravilhosas e criaturas místicas, Nanotale: Typing Chronicles parece ser um jogo estilo Nintendo, gráficos cartunizados o que não o deixa pra trás em beleza visual, o mapa é muito bonito e cheio de cores.

Existem pontos na floresta em que ela está sem cor, como se estivesse corrompida e nós temos que passar em um desafio de sobrevivência para que aquele local se torne cheio de cor novamente e sem corrupção, então precisamos buscar a causa disso e entender o mistério da bruxa que a principio se mostrou solidaria com a nossa presença mas esconde alguma coisa, ela deixa claro pra você que não te deu permissão de aprender feitiços novos e a historia segue.

Gameplay

O jogo tem um sistema de UP como todo bom RPG, você ganha XP arquivando coisas, como plantas, animais, fazendo quests dadas pelos NPC’S, explorando o mapa e quando isso acontece você ganha um pouco de atributo e pode escolher uma habilidade para melhorar, dar mais dano, causar lentidão, mais mobilidade em sua raposa magica entre outros, conforme você vai catalogando as espécies de plantas e animais você conhece mais sobre eles no jogo, como eles vivem, habilidades, cheiros, cores, costumes, é um RPG muito rico em detalhes nesse sentido, mas são todos “escritos” então você precisa gostar de ler e de escrever.

Nanotale: Typing Chronicles lançou para PC e Google Stadia, seria maravilhoso ver este joguinho em todos os consoles, graficamente o estilo de jogo me agradou muito, sou apaixonado por joguinhos estilo cartoon seja com vista de cima ou 3D como Fortnite, eles é cheio de criaturas místicas que lembram muito Pokémon, muito mesmo, da vontade capturar as criaturinhas e pegar pra você, visual super mega fofo (iti malia), tudo é muito incrível e você quer ficar observando.

Conclusão

Não só o visual é bonito como a trilha sonoro e a ambientação do jogo combinam, o jogo consegue ter uma boa imersão, barulhos da floresta, intensidade da musica em momentos de combate e exploração, junto com a narrativa o jogo consegue te passar um gostinho de quero mais, mas vou abrir um parêntese aqui, apesar de um bom áudio as vezes ele buga e não acompanha o que está acontecendo, mas isso não atrapalha a gameplay, Nanotale é um jogo de RPG com muita escrita e texto, então se você é uma pessoa que não gosta de leitura e nem de RPG, ou prefere algo mais rápido, Nanotale vai te dar um pouco de sono talvez, eu indicaria você arriscar se tiver coragem, pois vale a pena, por fugir do padrão o jogo me conquistou.

Nanotale por sua mecânica diferente de usar texto para tudo, tem muitos puzzles, em certos momentos do jogo você precisa usar o ambiente a seu favor, existem plantas que quando ativadas queimam a região, plantas que jogam água, que curam, e assim por diante, ao decorrer da gameplay você vai ficar preso sem saber como progredir por conta de galhos secos grandes que são um obstáculo no caminho, nesse caso você precisa analisar como vai fazer para queima-los, a dica é observar bem o ambiente, num geral é um ótimo jogo indie pra quem curte o gênero, coloque na lista de desejo sem falta, para assim que surgir uma oportunidade, joga-lo, obrigado por ler até aqui, você é demais (to falando com você mesmo).


Para mais informações sobre games, acompanhe a Manual no Facebook, Twitter, Instagram e através de nosso canal no Youtube.

Publicado em 16 de abril de 2021 às 13:33h.
2021-04-16 13:33:12