Análises Games PC PlayStation Xbox

Análise | NieR Replicant (2021)

  • Compartilhe:
Pop Art SkinsPop Art Skins

NieR Replicant ver.1.22474487139 se trata de um relançamento do jogo de mesmo nome. Sim, você leu certo. O jogo está sendo relançado e não remasterizado. A abordagem escolhida combina bem com o excêntrico Yoko Taro, diretor desta versão atualizada. Como já entreguei, o título é essencialmente o mesmo jogo lançado na década passada, todavia, ele recebeu melhorias expressivas que melhoram a experiência do jogador.

Antes de mais nada, é necessário explicar o surgimento de NieR Replicant para que você entenda esta análise por completo. Em 2010, o primeiro NieR foi lançado para o público. Contudo, os jogadores do Ocidente receberam um jogo e os do Oriente outro. Com um protagonista diferente e uma história levemente alterada, as duas versões ganharam subtítulos: Gestalt e Replicant.

A variante Replicant, que serviu de inspiração para esta versão atualizada, foi a liberada no Oriente. Agora, todos os jogadores vão poder conhecer esta versão da história com modelos de personagens atualizados, cenários refeitos e uma trilha sonora incrementada. Diante de tudo isso, temos uma pergunta para responder neste review: a versão melhorada de NieR Replicant faz jus ao legado da franquia?

A história de NieR Replicant

O enredo é protagonizado por duas pessoas. O seu personagem, que é nomeado pelo jogador, e sua irmã Yonah. A garotinha está sofrendo com uma doença misteriosa que parece não ter cura. Cabe ao Protagonista encontrar uma solução e salvar a sua irmã. Logo no início da trama descobrimos uma possível solução.

Existe um livro mágico, Weiss, que parece conhecer quase tudo do mundo. Apesar de ter perdido sua memória, o Grimório serve como alívio cômico e uma esperança para curar Yonah. O mundo está sendo devastado por Sombras. Algumas delas são especiais por conterem Versos Selados.

De acordo com uma lenda que conhecemos no jogo, a cura para a doença misteriosa de Yonah poderá ser obtida após juntar todos os Versos Selados. A história é cheia de altos e baixos e momentos marcantes. Algumas cenas e localizações são quase que eternizadas através da trilha sonora do jogo.

Se tratando de um jogo de Yoko Taro, você já sabe mais ou menos o que esperar. A narrativa é cheia de subjetividades e nada é preto no branco. As escolhas pesam e geralmente tudo tem dois lados na história. Isto é acentuado no game através da presença de 4 finais diferentes.

Os finais de NieR Replicant

Como mencionei acima, ao todo são 5 finais diferentes. Mas antes de mais nada, vamos falar sobre a estrutura do jogo. Em suma, a história é dividida em dois atos. No primeiro Ato, acompanhamos o Protagonista e Yonah enquanto eles são jovens. No segundo Ato, temos um avanço temporal, com os dois quase na fase adulta.

Você deve estar se perguntando: por que isso importa? Bom, o Ato 1 do jogo só pode ser jogado uma vez por save. Existem alguns eventos e missões que só podem ser encontrados durante este Ato. Mas as particularidades envolvendo o jogo não param por aí.

Para conseguir realizar o Final C, é necessário coletar todas as 33 armas do jogo. A tarefa parece ser difícil, mas fique tranquilo, é bem fácil de se coletar as armas. A maioria esmagadora pode ser comprada em lojas ou são recompensas de missões. Uma minoria são encontradas espalhadas no cenário. No geral, os finais não alteram muito a trama, contudo, abordam outros pontos de vista e explicam melhor o que se passa no jogo.

A jogabilidade de NieR Replicant

Os fãs de Automata vão se sentir em casa em Replicant. O combate funciona de forma bem similar. Você tem botões focados no combate físico e os gatilhos são usados para magias e manobras evasivas. As magias são uma parte fundamental do jogo e todo o combate à distância é construído em torna delas.

A grande novidade no que tange o gameplay é a possibilidade de aprimorar as armas e as magias através da edição de palavras. As Palavras são upgrades fixos que são conquistados ao derrotar as Sombras. Você pode aumentar o poder de ataque das armas, a taxa de quebra da guarda dos inimigos ou aumentar o ganho de XP ou a queda de itens.

As Palavras possuem graus diferentes e as melhores são conquistadas no segundo ato do jogo. As armas também possuem níveis que podem ser aprimorados no Ferreiro. Todavia, prepare-se para um dos maiores grinds da sua vida. Existem materiais raríssimos que são bem difíceis de serem conquistados. Se você pretende conquistar a platina do jogo, boa sorte.

Atividades e Missões Secundárias

O tempo de duração de NieR Replicant é extendido através de missões secundárias e de atividades como pesca e jardinagem. Pescar é bem divertido e você precisa aprimorar sua habilidade realizando missões secundárias com um pescador habilidoso na cidade de Seafront. Já o sistema de jardinagem é horrível. O jogo usa as horas reais como parâmetro, o que torna todo o processo tedioso. Todavia, o sistema pode ser muito bom para conseguir uma grana extra. Isso se você tiver paciência pra esperar um dia inteiro.

Falando sobre as missões secundárias, NieR Replicant oscila demais nesse quesito. Algumas missões são memoráveis, principalmente as que envolvem a Velha do Farol. Mas a maior parte delas são uma tortura imensa e extremamente datadas. Você precisa coletar itens ou falar com NPCs espalhados em diferentes cidades. Como o fast travel demora de ser habilitado e não é nem um pouco prático, acaba existindo uma quebra de ritmo absurda no jogo.

Fiz todas as missões secundárias do Ato 1, mas, ao chegar no Ato 2, fica difícil ter paciência pra ficar indo pra cima e pra baixo coletando coisas ou conversando com NPCs. No geral, as atividades e missões secundárias podem ter sido divertidas no lançamento do jogo, contudo, elas envelheceram bem mal e mais irritam do que qualquer outra coisa.

O que há de novo na versão?

O relançamento do jogo trouxe consigo diversas novidades. Vamos falar sobre as principais delas. Começando pelo modelo dos personagens. Todos eles foram refeitos, ganhando um incremento no visual. A distância de profundidade também foi aumentada, contudo, os cenários são bem datados, o que não gera um vislumbre com as paisagens.

No âmbito técnico, o jogo roda tranquilamente a 4K e com 60 FPS. Vale mencionar que eu joguei em um PS5 e não tenho ideia da performance nos consoles antigos. Existe uma quantidade insana de loadings que chegam a incomodar no PS5, logo, imagino que a experiência seja ainda pior na geração passada.

Todos os personagens receberam vozes em inglês e o trabalho foi desempenhado de forma incrível. Pra falar a verdade, toda a parte sonora é brilhante. A trilha sonora de NieR Replicant é uma das melhores que eu já ouvi em um game. Um modo de batalha automática também foi adicionado, mas não cheguei a experimentar e não vejo muito sentido nele.

No geral, as mudanças foram bem pontuais e mais se aproximam de uma remasterização do que qualquer outra coisa. O grande problema é cobrar praticamente o preço de um lançamento em uma remasterização de um título da década passada…

NieR Replicant ver.1.22474487139: Vale a Pena?

Se você for um fã extremo da franquia, o preço cobrado no lançamento certamente vale a pena. Existem muitos detalhes que enriquecem o universo construído por Yoko Taro. Contudo, caso este não seja o seu caso, fica difícil recomendar o jogo com a atual precificação. Essencialmente ele se trata de um relançamento de um jogo antigo com atualizações pontuais, portanto, seu preço deveria ser bem menor do que o que é hoje.

NieR Replicant


Para mais informações sobre games, acompanhe a Manual no Facebook, Twitter, Instagram e através de nosso canal no Youtube.

Publicado em 22 de abril de 2021 às 09:20h.
2021-04-22 09:20:07