Análise Análises Artigos Jogos Lançamentos Notícias pc PC Playstation ps4 Sony Xbox One xone

Análise | Samurai Shodown

  • Compartilhe:
Pop Art SkinsPop Art Skins

Um dos jogos de luta mais aclamados dos anos 90 volta para os holofotes, com seu mais novo título lançado para esta nova geração, Samurai Shodown desenvolvido pela SNK vem trazer para os jogadores de Playstation 4 e Xbox One (versões já anunciadas futuramente para PC e Switch), como um game clássico consegue se renovar mantendo a mesma essência que os fãs amam e respeitam. 

Identidade própria  

Um dos pontos mais positivos de Samurai Shodown é sua identidade própria e muito bem definida, diferente dos atuais jogos de luta o game tem uma pegada um pouco mais cadenciada, onde o foco é conseguir encaixar cada golpe com um intuito de aproveitar ao máximo cada brecha que o oponente venha a ceder, aumentando a tensão nos duelos.  

Com golpes incrivelmente lindos, inspirados na “mitologia hollywoodiana” trazida ao longo dos anos em filmes de samurai, vemos inúmeras derivações de ataques, os combos não são difíceis de serem realizados, mas exigem posicionamento e momento correto para sua execução. 

Jornada 

O game se passa no Japão ameaçado por uma força sobrenatural que leva nosso personagem (fica a escolha do jogador escolher com quem vai jogar), enfrentar os demais para conseguir derrotar este mal que vem tentar controlar a todos. 

Infelizmente o modo história é bem superficial pois não aborda a fundo nenhuma história dos seus personagens, tendo como diferenciação somente as introduções e cutscenes finais após a derrotar a última ameaça. 

Novo modo de luta

Além dos modos normais a grande novidade é seu modo Dojo, neste modo existe uma mescla entre o modo multiplayer e single player, em resumo enfrentamos adversários reais, mas que estão offline, a IA destes oponentes é baseada nas escolhas e método de luta de cada jogador coletadas em suas batalhas, parecido com o que encontramos nos jogos de corrida Forza. 

A proposta é bacana, mas ainda falta um refinamento neste modo Dojo, em inúmeras vezes me deparei com adversários tendo atitudes pouco convencionais como, pulos e golpes totalmente fora do “time”, o que foge um pouco do conceito, pois a linha que o jogo segue é aproveitar cada espaço para desferir combos , tirando a maior quantia de vida do seu inimigo. 

Experiência visual e sonora 

A aposta da SNK não era realizar um projeto com gráficos ultrarrealista, mas sim montar uma ambientação com gráficos mais cartunescos, nos proporcionando um visual muito lindo. Os efeitos sonoros também não deixam a desejar, aumentando a imersão e contribuindo para contextualizar o cenário em que o jogo se encontra. 

Diferenças entre os personagens 

Existem ao todo 16 jogadores, três deles novos na franquia, mas uma coisa que Samurai Shodown soube fazer foi diferenciar seus personagens, por mais que todos eles tenham uma base que segue ataques fracos, médios e fortes, além de uma barra de “fúria” que se enche conforme recebemos os golpes, aumentando o dano causado pelo nosso lutador. O game mostra uma incrível diferenciação que ultrapassam os movimentos que elaboram os ataques, onde cada personagem tem seu próprio estilo de jogo, tendo muito bem diferenciado força, agilidade e cadencia de jogo. Tornando a gameplay muito mais divertido e desafiante. 

Vale a pena? 

Por mais que não haja uma grande profundidade nas histórias dos jogadores e o modo Dojo não ser tão convidativo quanto aparenta, Samurai Shodown nos apresenta um ótimo jogo de luta, com muitas diferenciações do que temos presente hoje em dia no mercado. 

Seja jogando single player ou multiplayer, o jogo nos oferece uma experiência muito bem equilibrada, atraindo novos jogadores e mantendo seu antigo público interessado e feliz pela franquia ter voltado adaptada para nova geração, mas mantendo a base em suas raízes iniciadas nos fliperamas. 

Publicado em 4 de julho de 2019 às 12:22h.
2019-07-04 12:22:31