Análises Destaque Jogos PC Playstation Xbox One

Análise | Super Street: The Game

Pop Art SkinsPop Art Skins

Em parceria com a Team 6 Game Studios e Rebel Games, a Super Street, uma das mais relevantes mídias da cultura automotiva no mundo lança seu primeiro jogo, um arcade de corridas! A Super Street evoluiu de uma revista para aficionados por carros até uma marca que definiu o estilo de vida e serve atualmente como uma das mais relevantes fontes de informação para mais de 16 milhões de entusiastas por customização de carros ao redor do mundo.

Seguindo uma tendência, o próximo passo para a Super Street foi lançar seu próprio jogo de corridas, com elementos que lhe conferem características agradavelmente diferentes das franquias que dominam o mercado atualmente.

Em Super Street: The Game, você vai começar dirigindo uma verdadeira lata velha, literalmente caindo aos pedaços! A proposta dos desenvolvedores é simples, aqui você não vai comprar nenhum carro, vai construí-lo e customiza-lo à sua maneira.

ACELERANDO EM GRANDE ESTILO

Super Street: The Game traz o que há de melhor no mundo dos arcade racing games, adicionando à sua jogabilidade simples e intuitiva, novos elementos que o torna viciante e incrivelmente imersivo.

Aqui você vai ter a possibilidade de entrar de cabeça no mundo da customização de véiculos, e embora os carros não sejam licenciados, segundo os desenvolvedores: “para dar completa liberdade ao jogador na hora de construir sua máquina”, todas partes utilizadas para a customização são licenciadas. Super Street chega em parceria com mais de 70 marcas relevantes do mercado, e a variedade de peças que você pode equipar no seu veículo é impressionante.

Praticamente TUDO no seu carro pode ser customizado! Desde o exterior, em partes mais estéticas até o interior, com peças que vão melhorar a performance do seu veículo. E quando eu digo “praticamente tudo”, não estou de brincadeira, você vai poder escolher entre mais de 700 peças que vão desde espelhos laterais, até motores, bancos, rodas, pneus e suspensão.

O jogo traz um sistema de progressão bastante comum em títulos do gênero, ao longo das corridas você vai ganhar dinheiro e pontos de reputação. Conforme acumula pontos de reputação, chegando entre os 3 primeiros colocados nas corridas e desafios, novos eventos serão desbloqueados, e eventualmente, novos membros farão parte do seu time, te ajudando a melhorar o desempenho do seu carro.

A jogabilidade é satisfatória. Inicialmente tudo parece estranho e os controles não respondem bem, mas logo você vai perceber que isso é culpa da sua lata velha, que começa com a mesma dirigibilidade do fusquinha do tio da esquina. Conforme novas peças vão sendo adicionadas à sua caranga, as manobras (frenagem, curvas etc) começam a responder gradualmente melhor, e você vai se sentir mais confortável no volante.

Mas nem tudo são flores! A física do jogo funciona bem, contudo, em diversos momentos ela parece atuar contra você, e principalmente quando em contato com outros carros, coisas estranhas vão acontecer.

Os modos de corrida não trazem nada de novo em relação ao que temos no mercado de jogos de corrida, todos os eventos vão ter até cinco corridas, que basicamente serão: desafios de tempo, circuitos fechados, eliminação, duelos, sprints, joy rides e arcade races. Estes modos se repetirão em todos os 13 eventos. Você terá ainda a opção de Corrida Rápida, onde poderá escolher inicialmente 5 circuitos, e diversos carros previamente customizados. Ainda é possível jogar em cooperativo local, com tela dividida, além de online com outros jogadores.

VOANDO BAIXO

Nossa análise foi feita no Playstation 4, e meus amigos, os gráficos estão desgraçadamente desgraçados aqui! O jogo carece de MUITO polimento gráfico, as texturas são quase sempre de baixa resolução, cheias de serrilhado, delays de renderização, além de ocasionais quedas de frame rate, e embora seja sempre um incomodo, tudo isso é parcialmente mascarado pela boa iluminação dos circuitos.

A trilha sonora é bem ultrapassada, e parece ser uma versão genérica de outros jogos, em diversos momentos ela é tão repetitiva e chata, que logo após as primeiras horas de jogo, passei a manter o spotify ligado.

VALE A PENA JOGAR?

Streer Race: The Game não traz grandes inovações ao gênero. Os modos de corrida e o estilo de gameplay são essencialmente similares, e menos polidos que jogos como Need For Speed e outros. O grande e único diferencial é o complexo sistema de customização do veículo, a quantidade de opções impressiona, e começar com uma caranga velha, e vê-la gradualmente se tornar o carro dos sonhos foi minha grande motivação para continuar jogando.

Se você já passou por diversos jogos similares a Need For Speed, busca algo ligeiramente diferente que possa te motivar a jogar por longas horas, Streer Race: The Game pode ser uma boa opção. Caso não seja aficionado pelo estilo, e só esteja buscando aquela jogatina descompromissada no final de semana, existem melhores opções.

Publicado em 24 de dezembro de 2018 às 15:15h.
2018-12-24 15:15:00

  • Compartilhe: