Análise – Tunic (PS5)

Tunic-capa

Tunic te levará para uma incrível jornada

Tunic foi desenvolvido pelo estúdio Finji e foi lançado diretamente no Game Pass em março desse ano e agora está chegando em outras plataformas como o Switch, o Playstation 4 e o PS5. É um jogo de ação-aventura isométrica em que os jogadores são levados em uma aventura de descobrimento enquanto controlam uma raposa que acorda em uma ilha misteriosa e assim começa a sua jornada.

Jornada do Tunic

Tunic me lembra um jogo….

Uma coisa que os jogadores percebem imediatamente é que o game lembra o clássico Zelda, tanto na jornada quanto na jogabilidade. Durante a aventura, a raposinha explorará vários cenários como florestas, templos, porões e outros locais. Cada cenário contém seus desafios e criaturas para serem enfrentados. O jogo utiliza um sistema que muitos jogadores de aventura gostam: o “backtracking”, que consiste em voltar às áreas exploradas após conseguir um item em uma área avançada para desbloquear novos cenários e conseguir itens raros. Esse sistema ficou muito popular nos anos 90 em jogos como Metroid, Castlevania e Zelda. 

Gameplay Tunic

Jogabilidade rápida, mas tem seus problemas 

Tunic apresenta uma jogabilidade bem simples, mas pode confundir os jogadores durante a batalha. O jogador tem controle rápido das ações da raposa, como atacar com a espada e se defender com escudo. O menu possibilita escolher qual botão de ação das armas, sendo no Playstation o quadrado, triângulo e bolinha. Ao colocar a seleção no item é só apertar um desses botões que a arma vai direto para o slot. Além das armas, o jogador pode colocar mais itens que são encontrados, como cura ou bombas. O botão X serve para correr e se esquivar dos ataques. 

Vários inimigos na jornada

O grande problema são os botões de cima. R1 é o botão de curar e o R2 de usar o escudo de defesa. Em vários momentos durante o combate, quando você tenta se proteger, acaba usando o item de cura, se não prestar atenção.

Do outro lado, L1 permite abrir o menu que não pausa o combate e é quase impossível adicionar itens durante a batalha, e o L2 que trava a mira no inimigo no estilo Dark Souls. Repito: é muito fácil errar os botões durante a luta com um inimigo. 

O jogador tem visível na lateral esquerda a quantidade de vida e stamina. A stamina, assim como acontece nos jogos Dark Souls, é descarregada ao atacar um inimigo ou ao ficar se defendendo por muito tempo. Será preciso se afastar e dar um tempo para recuperá-la. 

Cuidado com os inimigos de Tunic

Tunic possui um sistema de punição parecido com os jogos souls. Se o personagem morrer, fica uma aura azul com todos os pontos coletados, caso morra novamente sem conseguir recuperá-los, os pontos são perdidos para sempre.  

Vale a pena jogar Tunic?

Tunic é um jogo de ação-aventura incrível, cada área contém seus elementos próprios e a jornada beneficia os jogadores que gostam de explorar o manual que traz informações daquele universo, inimigos e locais secretos. A recompensa por explorar Tunic é gratificante. Se você está em busca de um jogo para passar horas prazeirosamente jogando, Tunic é esse game.  

Tunic
Esta Análise foi feita com uma cópia cedida gentilmente pela Finji

 

Gostando de nossos conteúdos? Nos ajude compartilhando.

Gostando de nossos conteúdos? Nos ajude compartilhando.​

VEJA TAMBÉM

Comentários: