Destaque Microsoft Nintendo Sony

BGS 2016 – Sob o olhar da Manual dos Games

  • Compartilhe:
Pop Art SkinsPop Art Skins
A BGS 2016 cumpriu o prometido. Melhor, superou as expectativas. O evento conseguiu impactar seus visitantes pela estrutura, organização, acessibilidade e, certamente, pelas atrações e lançamentos.
Convidada pelos produtores do evento, aos quais seremos eternamente gratos, a Manual dos Games pôde conferir de perto tudo que aconteceu por lá. E agora vamos tentar compartilhar com vocês um pouquinho do que vimos.
Estrutura, organização e acessibilidade
Utilizando o espaço da São Paulo Expo, um lugar imenso, diga-se de passagem, que conseguiu proporcionar uma disposição agradável e confortável dos stands. Testamos a entrada em horários diversos e não encontramos nenhum problema no espaço do evento, mas o trânsito complicou um pouquinho no entorno. A melhor opção era o metrô (fica a dica). O espaço contou com uma ampla “praça” de alimentação com opções diversificadas. O preço estava um pouquinho salgado, mas para os despreparados, financeiramente falando, havia a opção das Lojas Americanas. Expositores a perder de vistas. Notamos também que havia uma separação temática na disposição desses. Banheiros amplos, bebedouros e sinalizações por todos os lados.
A começar pelas dicas e orientações na página do evento, principalmente sobre o como ir, como chegar. Mesmo marinheiros de primeira viagem, conseguimos atravessar a cidade e chegar ao evento. Utilizamos a opção do metrô e descemos na estação Jabaquara, onde profissionais do evento estavam dispostos e prontos a orientar sobre onde tomarmos o ônibus que GRATUITAMENTE nos levaria até o evento.
Entradas separadas que facilitavam o acesso ao espaço. Rampas para o público cadeirante que marcou presença em peso. E logo na recepção recebemos um informativo que continha além das informações gerais, um mapa detalhado dos expositores.

Atrações e lançamentos
O evento contou com presenças ilustres como um dos produtores de Final Fantasy, Shinji Hashimoto, também vários youtubers como BRKsEdu, Coisa de Nerd, Zangado, Cellbit, Canal Nostalgia, Damianizando, TioLoko e muitos outros (acreditem, muitos mesmo) que contribuíram através de coletivas à imprensa ou num “corpo a corpo” com o público.
Sobre os lançamentos podemos destacar:
Os vários espaços de VR (testamos na NVIDIA, foi incrível!)
Gears of War 4 (um gráfico melhorado, mas mesma jogabilidade)
 Forza Horizon 3 (não testamos, mas encheu os olhos)
Minecraft: Story Mode
For Honor
Tom Clancy’s Rainbow Six Siege (com expansão Skull Rain, ambientada no Rio de Janeiro)
Just Dance 2017 (seleção de músicas atuais e diversão garantida para os amantes desse gênero)
FIFA 2017 (chamou atenção pelos detalhes gráficos e voltou a conter os times brasileiros)
 Resident Evil 7
Gran Turismo Sport (não foi possível nem fotografar e devido à superlotação não conseguimos testá-lo)
Horizon Zero Dawn (aventura com cenário futurístico, grande promessa)
Detroit: Became Human (só foi possível ver o trailer, mas além de uma história interessante os gamers poderão jogá-lo várias vezes, pois as ações interferem no curso da história)
The Last Guardian (somente trailer também)
Watch Dog 2
Tekken 7 (mais rápido e muito agradável aos olhos)
Final Fantasy XV (a mesma demo que já estava disponível nos consoles, mas o produtor presente no primeiro dia não teve preço)
Gwent – The witcher card game (stand incrível e lotado todos os dias)
ReCore
Summoners War
E mais outras dezenas (sério, não dá para listar todos eles).
Jogos de PC estavam com tudo, além dos vários lançamentos, os espaços e as (super)máquinas estavam de fazer inveja. O público pôde testar a maioria e ainda presenciar os campeonatos como de CS:GO, onde presenciamos a equipe Remo Brave desbancar os favoritos da CNB, que lutaram bravamente; Dota2 que teve como campeã a equipe da paiN Gaming; e o Clash Royale que teve como vencedor o jogador Mandrak.
Para os amantes de jogos INDIE, foi um prato cheio. Além de uma vasta galeria, o público pôde contar com um espaço para conhecer melhor os jogos (indiemeeting). Com várias apresentações em horários diversos ao longo do dia.
Algumas coisas precisamos ressaltar
Não é possível apreciar tudo em um único dia.
É preciso ter bem claro o que quer experimentar, pois não dá para ficar parado enfrentando filas imensas e correndo o risco de não ver nada além de um expositor.
Vá com a mente aberta para conhecer novos gêneros, você poderá se surpreender.
Tenha paciência, você não será o único amante de games presente no espaço (somos muitos).
Concluindo

Que o evento foi minuciosamente planejado e organizado, não restou dúvidas. O que ficou foi um gostinho de “quero mais” e uma ansiedade enorme pelo próximo. São poucos os momentos em que podemos apreciar tanta coisa nova e com tanta qualidade. Pelo menos uma vez na vida, vale a pena investir. 

Publicado em 11 de setembro de 2016 às 11:35h.
2016-09-11 11:35:00