Games Microsoft Playstation Sony Xbox

Destiny 2 | Primeiras Impressões

  • Compartilhe:
Pop Art SkinsPop Art Skins

Destiny, a ousada proposta da Bungie, deixou uma legião de jogadores divididos. Apesar de ter agradado um bom número de jogadores que se tornaram uma base sólida do jogo, o modelo de negócios da Bungie com um número expressivo de DLCs custando um valor alto irritou muita gente. Outro ponto negativo foi a ausência do jogo nos PCs.

Três anos após o lançamento do primeiro jogo, a Bungie vai tentar se redimir com a sequência de Destiny. Com novos planetas, uma nova ameaça e uma história digna de um filme de Hollywood, Destiny 2 tem tudo pra agradar os fãs da franquia e captar novos jogadores, principalmente com a versão de PC confirmada e gerenciada pela Blizzard.

Com o lançamento do jogo se aproximando, a Bungie decidiu realizar uma Beta Aberta para mostrar aos jogadores o esforço da empresa em tornar o jogo mais acessível. Fique agora com as nossas primeiras impressões do jogo.


PvE – Enredo

A Beta Aberta começa com a missão “Homecoming” que também será a primeira missão do jogo final. Nessa missão bombástica, podemos ver A Torre sendo destruída, a Legião Vermelha invadindo a última cidade da Terra e os três comandantes da resistência se juntando para organizar uma defesa.

Destiny 2 – A Torre

No final da missão encontramos o novo antagonista da franquia, Ghaul, o comandante da Legião Vermelha. Ele revela sua motivação e remove os poderes do Guardião, instigando os jogadores a descobrirem o que acontecerá depois desse ponto.

Ghaul, Comandante da Legião Vermelha

A primeira missão de Destiny 2 revelou que a jogabilidade do jogo está idêntica ao primeiro. Um elemento negativo foi a escassez de munições para a arma especial (Terceiro Slot) mas a Bungie já afirmou que esse problema será corrigido na versão final. A campanha de Destiny 2 tem um tom de urgência maior do que o primeiro jogo, afinal, a salvação ou a destruição da humanidade depende de nós e da Resistência. Um ponto negativo para alguns foi a ausência de novidades na jogabilidade, fazendo com que o jogo pareça uma DLC mais robusta do primeiro game.


PvE – Assalto da Espiral Invertida

É no modo Assalto que Destiny 2 ganha força e se torna ainda mais atrativo para os jogadores. No Assalto de abertura do jogo iremos visitar o novo planeta Nessus para investigar as atividades do Cabal. Durante o mapa nos deparamos com diversos confrontos dos Cabais contra os Vex. A curva de dificuldade do Assalto é interessante e é recomendável que o jogador encontre mais dois amigos e se comunique com eles caso não queira ter muita dor de cabeça. No final do Assalto nos deparamos com Protheon, A Mente Modular. Esse chefe Vex tem diversas fases e pode facilmente matar o trio de Guardiões caso uma estratégia não seja adotada.

O modo Assalto foi o modo que mais me agradou em Destiny 2. A sensação de jogar com amigos e vencer o chefe final é indescritível. O melhor de tudo é que no final os jogadores ganham um loot que promete render bons itens. Vale lembrar que não é necessário jogar com dois amigos no Assalto. Os jogadores podem ser pareados com outros mesmo não estando na lista de amigos. O modo Assalto promete render horas de diversão e de estresse pros Guardiões!


 PvP – Modo Controle

O modo Controle de Destiny 2 é bem simples. O mapa contém 3 sessões, A, B e C. Ao controlar uma sessão, o time ganha um ponto. Ao matar um inimigo, o time ganha um ponto. Ao matar um inimigo dentro de uma sessão conquistada, o time ganha dois pontos. O time que conquistar 75 pontos primeiro, sai o vencedor. Em uma partida, o time estava muito entrosado e chegamos a colocar 30 pontos na frente, por conta disso, a partida acabou ao chegar em 45 pontos. É bacana saber que existe um sistema de balanceamento para não frustar os jogadores. Outra mudança bem vinda no modo PvP foi uma presença menor de habilidades e um foco maior nos tiroteios. O PvP flui bem melhor dessa forma.


PvP – Modo Countdown

O modo Countdown, inédito na franquia, também é bem simples. Um time deve armar a bomba e o outro deve desarmar, quem fizer 4 pontos primeiro ganha a partida. A maior diferença desse modo pro Controle é que não existe respawn. Se você morrer, precisa esperar a rodada terminar para jogar novamente. Assim como o modo Controle, o modo Countdown está bem equilibrado e divertido. Uma ótima adição no jogo.


Considerações Finais

Destiny 2 promete melhorar todos os pontos fortes do primeiro jogo, eliminar os pontos negativos e adicionar novos recursos e conteúdos para manter a longevidade do jogo. A Bungie se mostrou ambiciosa com o port do jogo pra PC sendo supervisionado pela Blizzard e essa parceria deve atrair muitos jogadores na plataforma Windows. O maior ponto negativo até então é a ausência de grandes novidades na jogabilidade. Nesse quesito o jogo parece mais uma DLC robusta do que uma sequência propriamente dita. O visual do jogo também poderia ser um pouco melhor, diferenciando ainda mais o game do seu antecessor. Na minha opinião, Destiny 2 tem tudo para ser um grande jogo, mas nenhum material até o momento justifique a cobrança de um preço cheio nele. O valor justo seria R$170,00.

Publicado em 25 de julho de 2017 às 16:53h.
2017-07-25 16:53:56