Análises Destaques Games Microsoft Notícias PlayStation Sony Xbox

Guardiões da Galáxia da Marvel | Análise

  • Compartilhe:
Pop Art SkinsPop Art Skins
Guardiões da Galáxia

Guardiões da Galáxia | Gente! Chega aqui!

Guardiões da Galáxia é um jogo do gênero de ação-aventura, com mundo semi aberto,  desenvolvido pela Eidos Montréal e publicado pela Square Enix para as plataformas, Microsoft Windows, Nintendo Switch, PlayStation 4, PlayStation 5, Xbox One e Xbox Series X/S.

Em suma, o game inicia sua história, relembrando o passado do protagonista Peter Quill/Star-Lord enquanto adolescente. Esse período que o jogo nos mostra é o exato momento em que a mãe do Star-Lord, lhe entrega um presente de seu pai, que por sinal, estava há muitos anos guardado, e esse presente nada mais é que as duas pistolas super tecnológicas.

Logo de inicio, tive a impressão de que a jogabilidade e gráficos estão muito superiores ao dos avengers, tendo em vista dois pontos, a movimentação do personagem está mais “humanizada”, pois, se você impulsionar o analógico para esquerda, você verá que o personagem gira seu corpo de forma natural e não de forma robótica. E o segundo ponto, é que, por se tratar de um game single player, as texturas, cores, gráficos e até a trilha sonora está muito bem caprichada e por falar em trilha sonora, Guardiões da Galáxia não existe, sem os bons e velhos clássicos e esse game está repleto de Rock clássico, que acaba deixando a partida mais empolgante e mais frenética.

Quanto à história principal, ela realmente inicia, após as lembranças de Peter Quill, no qual, ele acorda em sua nave e se reúne com os demais membros da equipe para partirem em busca do suposto monstro que se encontra na Zona de quarentena onde eles foram contratados para capturarem tal criatura. Todavia, ao chegar na zona de quarentena, os Guardiões começa a exploração da Zona, e daí pra frente, há alguns lugares que você pode destruir para obter recursos para melhorar suas armas e até encontrar trajes.

Nessa mesma linha, durante a exploração, acontece algo inesperado e totalmente cômico, Rocket e Peter Quill começam uma disputa de quem mata mais monstros durante o serviço, e essa competição só acontece, porque, o Rocket hackeou o visor do Star-Lord, enquanto este dormia.

A disputa é até interessante e induz você a não perder para o Rocket, só para ver o que vai dar, e no fim, quando você acaba ganhando, ele simplesmente pega e fala que foi só uma distração e que deviam seguir com o plano. Pois bem, ao chegar no final da localização do monstro, Peter Quill encontra um objeto pequeno amarelo, que tem uma infinidade de poder (é isso mesmo que você está pensando, chora Thanos) e ao tocar nele, acaba liberando um monstro desconhecido e assustador mas este acaba fugindo para o espaço.

Frustrados, os Guardiões, saem da Zona e acabam sendo interceptados pela Tropa Nova, onde, a equipe acaba sendo presa e encaminhada para dentro da Nave da Tropa, para aguardarem  julgamento. E aqui, nesse capítulo, que nos é apresentado o Vilão do game que é o, Grande Unificador, Raker, no qual é um devoto da fé da Igreja Universal da Verdade e está em busca de seu Deus, e no primeiro momento, este ser de flarck, não levanta suspeitas, mas ter a nave da Tropa Nova atacada e explodida, e ver os membros da Tropa serem controlados por uma espécie de controle mental, isso, acaba sendo muito suspeito. Daí em diante, deixarei para vocês desfrutarem da surpreendente e empolgante trama.

Não obstante, o game se destaca em diversos pontos, desde a dublagem que está 100% brasileira e muito bem feita por sinal, até a complexidade dos integrantes da equipe, que vão se desenvolvendo ao longo da jornada intergaláctica.

Dessa forma, Star-Lord utiliza a sua lendária arma elemental para derrotar os inimigos e voar pelo ar usando suas botas a jato e outra coisa, que me chamou e muito atenção, foi que ao sofrer um golpe, Peter Quill, tem a mecânica de ativar as botas a jato e afastar dos inimigos enquanto deitado, essa mecânica, realmente foi surpreendente e até achei que era um bug, mas, ao ver novamente, percebi que era algo do personagem mesmo e isso foi de fato sensacional.

Quanto aos outros membros da equipe, Gamora, Rocket, Groot e Drax, estes não são jogáveis, sendo controlados pela inteligência artificial do game, mas, os jogadores conforme vão avançando durante a jornada podem ir desbloqueando novas habilidades dos membros da equipe e durante o combate, pode seleciona-las e até criar combos variados com diversos estilos de golpes. 

Guardiões da Galáxia
Nessa mesma linha, o sistema de combate possui total fluidez, permitindo o jogador combinar diversos elementos da arma de Peter Quill e finalizar os inimigos de diversas formas. Outro ponto interessante, é que, conforme o jogador vai combatendo os inimigos, um medidor se acumula na parte inferir direita da tela e permite que uma habilidade especial conhecida como “Equipe Huddle” seja utilizada.

Dito isso, essa “ultra” habilidade, é algo totalmente inovador e divertida, tendo em vista, dois pontos de suma importância, o primeiro é quando utilizada, Star-Lord para de lutar, pega seu walkman, ergue ele e grita: “Gente! Chega aqui!”, reunindo a equipe e podendo fazer dois discursos motivadores, enquanto toca uma música de Rock para inspirar ainda mais a equipe e os jogadores no combate. 

Conseqüentemente, ao realizar o discurso o jogador terá um certo “buff” nas habilidades dos outros Guardiões, muito embora, o único que não é afetado por um bom ou péssimo discurso é o Star-Lord, pois, ele sempre terá esse aumento de dano e habilidade quando utilizada esse especial.

Guardiões da Galáxia

Por outro lado, o jogo consegue entregar cenários bem interessantes para serem explorados, em mundo semi aberto, proporcionando aos jogadores recompensas para aqueles que explorarem cada canto do mapa, seja uma nave gigantesca até um planeta coberto de neve ou uma caverna, cada ponto, deve ser explorado e escaneado com o capacete de Peter Quill, fugindo totalmente dos vingadores, que pode até ter cenários maiores, não são tão imersivos. 

Não obstante, quanto ao sistema de exploração, ele é interessante e faz o jogador pensar em diversas formas de passar por um obstáculo, seja optando por um caminho diferente do principal, no qual terá uma probabilidade de encontrar trajes para os membros da equipe, ou, você pode optar arremessar explodir algumas coisas, ou até arremessar o Rocket para abaixar uma ponte (Sim, eu optei arremessar o guaxinim mais raivoso da galáxia e foi totalmente engraçado ver a reação dele!).

Guardiões da Galáxia

Outro ponto a ser esclarecido, é que o game deixa nas mãos do jogador, decisões importantes, por meio das árvores de diálogo, que afetarão as relações entre os Guardiões e até o resultado de certas missões e possivelmente o final do game.

Dito isso, ao longo do jogo, as decisões tomadas durante a gameplay, serão comentadas pelos integrantes da equipe e até podemos ouvir histórias interessantes do passado deles, desde o Drax contando como ganhou o título de O Destruidor até o Rocket contar a sua história de origem e isso é um dos grandes pontos positivos do game, que fazem qualquer gamer querer comprar o jogo, a dublagem como dita anteriormente e também a forma que os membros da equipe vão contando suas experiências, você acaba se sentindo parte da equipe e até começa a entender o porquê do Rocket ser rabugento ou porquê da Gamora ser tão cautelosa quando falam do Thanos.

Guardiões da Galáxia

A história do game é algo que faz o jogador passar horas e horas de gameplay, prestando atenção em cada detalhe, em cada caminho alternativo de exploração, para ter ao máximo de esclarecimento, como por exemplo, como a Gamora entrou para a equipe, porquê o Rocket tem medo de água e outros.

Outro ponto forte do game, são os personagens que vão se apresentados ao longo da história, estes são totalmente complexos e bem desenvolvidos, possuindo uma história de origem interessante, motivos para ajudar os guardiões ou para matá-los (acredite, tem mais pessoas querendo matar os Guardiões, do que querendo ajudá-los).

Por último, há dois pontos que devo citar, o primeiro é algo que pode “desanimar” os jogadores, são as aparências de Drax e Gamora que estão diferentes do filme do MCU, mas isso, posso dizer categoricamente, que não atrapalha em nada a diversão e a imersividade do enredo da trama. Qaunto ao segundo é que o game tem diversos Easter egs, desde uma linha paralela dos avengers (Peter Quill zoa o nome dos vingadores) até games, como Cyberpunk (Cabine do Star-Lord na nave dele) e o filme Tron (Pôster do quarto do Star-Lord).

Todas as capturas de tela foram feitas por Leonardo Cardoso.

Vale a pena Guardiões da Galáxia?

Guardiões da Galáxia é o jogo que foge do passado obscuro de Avengers e é um prato cheio para aqueles que procuram diversão e se aventurar ainda mais no Universo Marvel. Os gráficos, a trilha sonora, dublagem, o enredo da trama, a construção dos personagens são pontos totalmente que pesam e muito positivamente na hora da dúvida de comprar ou não o game, mas lhes afirmo, de que vale sim a pena comprar o jogo, pois, certamente você vai querer jogar mais de uma vez, haja vista, que o Game possui até New Game+.

O único problema do game é o mundo ser semi aberto e alguns bugs que podem atrapalhar o game e fazer o jogador recarregar do último ponto salvo.

Contudo, vale muito a pena jogar e desfrutar desse game sensacional da Square Enix.

Esta Análise foi feita com uma cópia cedida pela Square Enix, nossos sinceros agradecimentos pela oportunidade.
Compartilhe esse post nas suas redes sociais:

Para mais informações sobre games, acompanhe a Manual no Facebook, Twitter, Instagram e através de nosso canal no Youtube.

Publicado em 25 de outubro de 2021 às 11:15h.
2021-10-25 11:15:16