Análises Destaque Literatura Nerd

Análise | Encarcerados – John Scalzi

Radugui StoreRadugui Store

Review | Encarcerados – John ScalziAutor de Encarcerados, John Scalzi figura entre os autores contemporâneos de ficção cientifica mais populares e prolíficos. Além de escritor, é crítico de cinema, ex-presidente da Science Fiction and Fantasy Writers of America, e já ganhou os prêmios mais relevantes relacionados ao gênero, como o Hugo e Locus, além do prêmio John W. Campbell de Melhor Escritor Estreante, com “A Guerra do Velho”, excelente livro publicado no Brasil pela Editora Aleph em meados de 2016.

A Guerra do Velho, narra eventos ambientados em um futuro longínquo, onde a humanidade vive seu momento de apogeu na era das viagens interestelares, e disputa espaço no universo contra outras raças alienígenas. Este livro foi seguido pelo lançamento de sua sequência direta, As Brigadas Fantasma, também publicado pela Editora Aleph.

John Scalzi dá início a sua obra literária com enredos altamente criativos e originais, marcados por um estilo de narrativa rápido, e dinâmico. As descrições dos momentos de ação, associadas a um cenário inventivo e original, são seguramente o ponto forte dos dois primeiros livros, nelas o autor consegue impor, por intermédio de seu estilo de narrativa, uma imersão quase que completa na história, uma vez iniciada a leitura é quase impossível deixá-la de lado.

Encarcerados”, nova publicação de John Scalzi no Brasil, trazido em março de 2018 pela Editora Aleph, trata-se essencialmente de um romance policial, com algumas pitadas de elementos cyberpunk que podem remeter alguns à Neuromancer, clássico absoluto do gênero escrito por Willian Gibson.

Em “Encarcerados” acompanhamos os efeitos da ação de um vírus devastador. Em decorrência da ação da Síndrome de Haden, como ficam conhecidos os contaminados pelo vírus, a sociedade mundial é abalada e parcialmente reestruturada, surgindo duas novas classes de indivíduos. Os Haden, que sofreram paralisia completa, e são aprisionados em seus corpos, e os Integradores, que sofreram profundas mudanças na estrutura cerebral, mas não foram afetados por deficiências físicas a longo prazo.

Síndrome de Haden é o nome dado a um conjunto de problemas e doenças inicialmente causados pela Grande Gripe, uma pandemia global semelhante à gripe comum que resultou na morte de 400 milhões de pessoas em todo o mundo, tanto pelos sintomas iniciais, similares aos da gripe, como pelos segundo estágio de inflamação cerebral e vertebral, parecido com a meningite ou pelas complicações decorridas do terceiro estágio da doença, que geralmente causa paralisia completa do sistema nervoso somático, resultando no “encarceramento de suas vítimas…”

Em decorrência do encarceramento de milhões de cidadãos ao redor do mundo, é desenvolvida uma tecnologia que permite a reintegração deles à sociedade através da transferência da mente dos Haden para estruturas robóticas, ou para outros humanos, os Integradores. Existe ainda um espaço virtual frequentado pelos Haden e financiado pelo governo, conhecido como Ágora, no qual eles conseguem se relacionar com os demais tal qual estivessem no mundo real.

Os Encarcerados acabam trazendo mudanças profundas para a sociedade, e estabelecem o surgimento de uma nova comunidade com cultura própria, para a qual é necessária a adaptação das leis vigentes. Nos Estados Unidos, o FBI cria um departamento para cuidar especificamente dos crimes envolvendo os Haden, devido à complexidade que esses casos peculiares podem apresentar.

Em meio a um mundo vivo e verossímil criado por John Scalzi, ocorre um assassinato em um quarto de hotel que envolve indivíduos encarcerados e integradores. Para investigar o assassinato, são destacados dois agentes do FBI, Cris Shane, um Haden e sua parceira ex-integradora, Vann.

Em Encarcerados não é diferente, como em A Guerra do Velho, John Scalzi nos presenteia com uma narrativa viva e cheia de ação. O mundo é extremamente verosímil e as peculiaridades sociais criadas em decorrência da ação do vírus são no mínimo plausíveis. O desenvolvimento dos personagens é sensacional, e é impossível não se apegar a eles após poucos parágrafos de leitura. A história consegue misturar com originalidade ficção científica com elementos de cyberpunk em meio a uma trama policial muito bem desenvolvida, e um cenário altamente inclusivo que não faz distinção de gênero ou raça.

Encarcerados é uma leitura rápida e descontraída, mas que não se esquiva de problemas sociais relevantes e atuais, os tratando com naturalidade por intermédio de pontos de vista diferentes. Seguramente é uma leitura altamente indicada aos fãs de ficção cientifica e romances policias, ou para aqueles que estão à procura de um bom livro, com excelentes momentos de ação e narrativa imersiva.

Publicado em 11 de junho de 2018 às 20:04h.
2018-06-11 20:04:22

  • Compartilhe: