Jogos Notícias

Riot Games | Processada por dois funcionários por assédio sexual e discriminação

Um funcionário atual e um ex-funcionário entraram com uma ação coletiva contra a Riot Games. A ação acusa a editora de League of Legends de discriminação de gênero, negando às mulheres o pagamento igualitário e oportunidades de promoções e avanços, bem como o assédio sexual e má conduta contínuos.

O processo, apresentado na Califórnia, alega que a Riot violou a Lei de Igualdade de Pagamento do Estado e suas disposições contra discriminação de gênero. Os dois funcionários pretendem reivindicar salários e danos não pagos, bem como penalidades adicionais.

Isto vem na sequência de um enorme relatório sobre a cultura sexista da Riot feita pela Kotaku, e o site também trouxe à luz o processo desta semana. Funcionários atuais e antigos dizem ao site que a Riot “expurgou muitas das pessoas acusadas de facilitar uma cultura tóxica”, embora outros acusados ​​permaneçam na empresa.

Você pode conferir o processo neste link, mas a Kotaku analisa algumas das alegações mais notáveis. Um dos queixosos afirma que assumiu funções de gerência sem aumentar os salários ou mudar de título. Três homens giraram através da posição enquanto ela nunca foi entrevistada. Depois, ela foi oferecida a essas funções – ainda sem um aumento salarial ou mudança de título.

O processo também faz referência a muitas das alegações de assédio sexual que surgiram contra a liderança da Riot nos últimos meses. A Riot emitiu um pedido formal de desculpas e uma promessa de consertar sua cultura sexista depois de todos esses relatórios, embora, devido ao escopo das alegações, muitos sejam compreensivelmente reticentes em ter fé nos primeiros esforços de melhoria da empresa.

Publicado em 7 de novembro de 2018 às 09:19h.
2018-11-07 09:19:26

  • Compartilhe: