Um terço dos desenvolvedores afirma que seus jogos foram adiados pelo COVID-19

Pesquisa mostra realidade da indústria em meio ao COVID-19

Devido à pandemia de COVID-19, muitas empresas de entretenimento, principalmente na indústria de videogames, passaram a trabalhar em casa.

Eventos e convenções anuais como a E3 também foram cancelados ou movidos on-line como resultado da pandemia. A Game Developers Conference transformou-se em um evento apenas digital este ano. Antes de sua conferência, iniciada em 4 de agosto, a GDC divulgou sua pesquisa State of the Industry, que entrevistou cerca de 2.500 desenvolvedores de jogos e descobriu que a pandemia “afetou significativamente os negócios da maioria dos desenvolvedores de jogos”, com 33% relatando que atrasou um jogo.

COVID-19

A pesquisa constatou que 70% dos criadores de jogos, 20% dos quais trabalham sozinhos, enquanto outros 18% trabalham com mais de 500 pessoas, passaram a trabalhar em casa desde o início da pandemia. Quase metade sente que a prática reduziu sua produtividade e um terceiro sentimento diminuiu sua criatividade. A GDC também relata que o COVID-19 teve um enorme impacto no desenvolvimento de jogos de outras maneiras, como resultar em mais horas de trabalho e mudanças permanentes na maneira como as empresas agirão após o bloqueio.

Outras facetas importantes da indústria do entretenimento também foram afetadas pela pandemia de coronavírus em andamento. Filmes como a próxima adaptação de Monster Hunter foram adiados devido ao COVID-19, e cadeias de teatro como a AMC tiveram que adiar a reabertura planejada ao lado de parques temáticos como a Disneylândia em Anaheim, Califórnia.

As empresas de videogame que promovem o trabalho em casa podem ter dificultado as coisas para muitos, mas, ao mesmo tempo, a pesquisa da GDC relata que mais de 90% de seus sujeitos não foram demitidos ou dispensados.

Gostando de nossos conteúdos? Nos ajude compartilhando.

Gostando de nossos conteúdos? Nos ajude compartilhando.​

VEJA TAMBÉM

Comentários: