Análises Games

Análise | Madden NFL 20

  • Compartilhe:
Pop Art SkinsPop Art Skins

A NFL está de volta e com isso a temporada de Madden também. Madden NFL 20 chega como todo ano antencedendo a pré-temporada da melhor liga de futebol americano do mundo, sempre trazendo novidades para os fãs do futebol americano e da liga.

Este ano a EA trouxe melhorias significativas na gameplay, que aprimoraram a experiência, dando mais realismo ao jogo. Além disso, temos a volta do college e o modo Face of the Franchise: QB1, que te coloca como um quarterback de uma das 10 equipes da NCAA disponíveis.

Além do que citamos acima, temos ainda mais novidades. A EA trouxe este ano grandes mudanças nos ratings dos jogadores. Teremos jogadores com ratings menores que ano passado para um melhor balanceamento, e isso é algo que faz de Madden 20 o melhor simulador da NFL da atual geração.

College

Oooooh boy!! Essa adição era o que eu e qualquer fã de Madden queria desde 2013 quando tivemos o último jogo da NCAAF. NCAA Football 2014 foi o último a trazer o college e desde então tínhamos esperança que ele poderia voltar, mas isso não aconteceu.

O que aconteceu foi que a EA pegou 10 dos melhores times da liga (não necessariamente os melhores mas alguns dos principais) e os colocou no Madden. Com eles temos as regras e a mudança de gameplay que diferencia o jogo dos profissionais (NFL) dos universitários (NCAA).

Mas, para a tristeza de toda a nação, e como falamos antes a EA trouxe somente 10 times universitários. Não, não estou reclamando, mas sim por que foram somente dez times.

Jogar e vencer o campeonato nacional

O Madden 20 traz o mais novo modo Face of the Franchise: QB1 (que substitui o modo história dos jogos anteriores), onde você joga como um quarterback de um dos 1o times de sua escolha da NCAA e joga para vencer o campeonato nacional. Aí que vem um dos grandes problemas deste Madden e que me decepcionou muito.

Você só pode jogar como um quarterback. Não pode escolher nenhuma outra opção. Você cria seu jogador do seu jeito e coloca seu nome. Ainda não temos uma opção onde o narrador fala o nome do jogador como qualquer outro jogo de esporte mas enfim, não é algo que faça muita diferença.

Depois de fazer suas escolhas você entra num mini-modo história. Neste você joga a semi-final e a final do campeonato nacional de futebol americano universitário. Não tem muito a se ver aqui, você só joga com seu player, faz algumas escolhas e vê algumas cutscenes.

Franchise, o calcanhar de aquiles

Depois de vencer ou não no college você vai para o draft e vai jogar para algum time da NFL. Deste ponto em diante não tem mistério, é o que vimos de anos anteriores e pouca coisa mudou.

Claro, a maior mudança fica por conta da scenario engine, que cria situações onde você deve fazer escolhas e escolhas aqui fazem a diferença entre jogar ou não e até mesmo ter mais tempo de jogo.

Fora desta novidade, o modo franchise tem o pro-bowl, que retorna ao Madden. Não é uma grande adição, mas adiciona uma pitada de realismo ao jogo que está extremamente realista, com uma gameplay de respeito e com as novas habilidades dos jogadores que eles se parecem como estrelas como na vida real.

Gameplay

Meus amigos, que gameplay, que sensação este jogo te dá. Não sei como explicar mas tudo roda melhor, mais leve, mais fluído. Não parece algo mecânico mas algo extremamente fiel a realidade, onde até a EA trouxe os jogadores para captura de movimento para arremessos e tipos de movimentos especiais como jukes, hurdles e mais.

Aliada a captura de movimento temos a mudança de ratings e as habilidades dos jogadores. Este ano Madden NFL 20 tem ratings menores se comparados aos anos anteriores. Isso faz com que as estrelas sejam estrelas, você vê a diferença no campo, assim como vê em cada jogo de cada semana na NFL.

Os jogadores principais da liga tem habilidades especiais que são ativadas em diversas situações. Um jogador com habilidades X-Factor são os melhores e fazem uma diferença absurda em momentos que você realmente precisa deles.

Vamos a um exemplo simples. A estrela da capa, Patrick Mahomes tem sua habilidade X-Factor ativada e pode arremessar 15 jardas a mais. Ou seja, é adicionado um boost de 15 jardas no seu limite na hora do passe, o que pode fazer com que jogadas de muitas jardas sejam mais fáceis, se os jogadores do ataque conseguirem chegar antes da defesa, claro.

É bom lembrar que essa habilidades são temporárias e tudo pode ser “counterado”. Exemplo, se Mahomes toma 2 sacks, ele perde essa habilidade. Além disso se um defensor estiver com a sua habilidade ativada, tudo se anula e é uma disputa 50/50.

Escolha seu playbook e jogadas

Temos novidades nos playbooks que parecem mais originais para cada time. Por exemplo, ao pegar o livro de jogadas dos Patriots, não teremos option para o QB, pois Tom Brady e o Tio Bill (lol) não fazem essa jogada pois Brady não corre. Ao invés disso teremos jogadas com jogadores correndo diversas rotas e algumas mais profundas pois é isso que eles fazem.

As adições das novas jogadas também foram super legais e muito bem-vindas. Temos as RPOs (Run-Pass Options) como minhas favoritas. Nestas você pode escolher correr com a bola e se você quiser pode passar a bola. A escolha é sua, dependendo do tipo da jogada tem que escolher antes para correr ou antes de acontecer para passar.

Temos também novas Hail Marys, novas Jet Swip e a minha jogada menos favorita foi adicionada ao Madden 20, a Philly Special.

Mal posso esperar por novas jogadas que serão adicionadas ao Madden durante o ano. Sim, conforme forem acontecendo novas jogadas e tudo mais, a EA vai adicionar novas, o que é muito legal.

A melhor parte, Ultimate Team

O modo Ultimate Team do Madden está espetacular como sempre. Claro, ele envolve dinheiro real, mas essa parte não é nada necessária pois a parte divertida é fazer desafios para montar seu time, principalmente se estiver no Brasil. Jogar online por aqui continua sendo um pesadelo mas se dá um jeito né.

O Madden tem o melhor e mais polido Ultimate Team de qualquer jogo. Isso eu falo com convicção pois jogo todos que existem nos mais diferentes mas o único que me parece bom e melhora a cada ano é o do Madden NFL.

Com o Ultimate Team do Madden 20 não é necessário mais voltar ao menu para acessar um novo desafio. Ao completar um é só clicar para continuar que você já pode jogar o próximo desafio para ganhar coins, jogadores, pacotes e muito mais.

De resto o Ultimate Team permanece o mesmo de sempre. Divertido, ganhando novos desafios a cada semana e sendo impossível de jogar online por causa dos adversários serem sempre níveis maiores e por causa da conexão por estarmos no Brasil.

Áudio e narração

Eu vivo reclamando da EA com o FIFA no Brasil. Eu não aguento mais o Thiago Leifert e o Caio Ribeiro. Eu sei, eu tenho no inglês desde o FIFA 14 por que um ano deles narrando foi bom, mas de novo e de novo é um saco. E isso se repete com o Madden.

Este ano temos a mesma narração e ela já enjoou no Madden 19, imagina agora trazer ela pro Madden 20. Brandon Gaudin e Charles Davis estão no Madden desde o Madden 17 então já deu né EA, por favor.

O áudio no campo continua com uma qualidade muito boa no geral. Você se sente dentro de um estádio lotado e com jogadores vindo para de destruir. A trilha sonora como sempre também está épica.

Resumindo

Madden NFL 20 traz tudo que Madden tem de bom e adicionou muito mais. A chegada de alguns times da NCAA é boa e ruim, pois são somente 10 colleges e a falta de novidades do modo Franchise decepcionam a todos, pois poderia ser melhor usada e a falta de coisas novas foi o que mais me decepcionou.

A gameplay está fantástica, super fluída e com alguns bugs como sempre, mas nada que interfira ou estrague a experiência. A mudança dos ratings e as habilidades das estrelas da NFL fazem com que eu me sinta dentro do jogo, transformando o Madden NFL 20 um dos melhores.

Madden NFL 20 foi gentilmente cedido à Manual dos Games para análise pela EA Sports“

 

Publicado em 9 de agosto de 2019 às 07:00h.
2019-08-09 07:00:57