Análises Jogos Nintendo PC Playstation Xbox One

Análise | Planet Alpha

Poucos são os games que conseguem fisgar o jogador apenas pelos olhos. Clássicos como Journey e Shadow of The Colossos são capazes de nos oferecer, além de uma mecânica de jogo bem polida, uma jornada maravilhosamente contemplativa e solitária em meio a um universo rico e inventivo, onde tudo é feito com tanto cuidado que cada elemento do cenário é capaz de despertar o mais puro interesse do jogador, que não raro se vê  explorando aleatoriamente, sem um rumo ou objetivo específico na mente, apenas pelo prazer de desbravar.

Com o lançamento de Planet Alpha para PC, XBox One, Playstation 4 e Nintendo Switch, a developer Planet Alpha ApS traz uma proposta parecida, porém, em um vívido mundo alienígena, onde em uma jornada solitária, você será obrigado a enfrentar uma série de desafios naturais, além de ter que sobreviver sorrateiramente a uma invasão completamente inspirada em A Guerra dos Mundos, clássico da ficção cientifica escrito pelo britânico H. G. Wells no final do século 19.

Planet Alpha ApS nos promete uma experiência inesquecível, com um jogo de plataforma rápido, além de uma serie de puzzles e elementos de stealth em um mundo único e cativante. Mas será que é Planet Alpha oferece ao jogador tudo o que promete? Venha comigo!

A GUERRA DOS MUNDOS

O jogo traz uma trama sci-fi aparentemente simples, cujo desenrolar foge completamente do nosso controle, mas que possui um mistério central que motiva o avanço no jogo e é capaz de nos manter engajados até o final da dessa perigosa aventura. Alguns elementos da história (uma narrativa gráfica, com poucas ou nenhuma explicação, capaz de atiçar nossa curiosidade como poucos jogos) me remeteram a Guerra dos Mundos (H. G. Wells), o que tornou toda a experiência ainda mais curiosa.

Assumiremos o papel de um explorador, que após alguns incidentes se vê perdido em meio um mundo alienígena vivo e hostil, e como se não bastasse, de explorador, nos tornamos caça, quando este mesmo mundo é maciçamente invadido por uma raça alienígena que começa a modificar (ou destruir) todo o riquíssimo ambiente indiscriminadamente. Desarmados e sozinhos, só nos resta sobreviver.

NA NATUREZA SELVAGEM

Planet Alpha é um game de plataforma com elementos de stealth. O avanço ao longo do gameplay se dá através de capítulos que vão exigir a resolução de uma série de puzzles envolvendo desde o uso de elementos do próprio cenário, até o controle do dia e da noite do planeta.

Aqui nós poderemos andar, correr, saltar, escalar paredes e arrastar objetos específicos do cenário, além de nos escondermos em arbustos ficando invisíveis para boa parte dos inimigos e animais selvagem que povoam o Planeta Alpha. Inicialmente o avanço do jogo é tranquilo, absolutamente contemplativo e solitário. Os puzzles consistem basicamente em conseguir acessar determinadas áreas e seguir em frente, a resolução deles possui dificuldade variada, e quase sempre você vai ter que arrastar uma pedra ou coisa do tipo para conseguir saltar até a plataforma que te guiará à próxima fase. Em alguns trechos do jogo nos depararemos com altares onde a resolução dos puzzles vai exigiram o correto controle do dia e da noite do planeta.

Após algum tempo de jogo, o que parecia ser maravilhosamente pacífico e tranquilizador, vai ganhando tons mais sombrios, até que misteriosas espaçonaves pousam no horizonte distante. Elas chegam com a clara ambição de colonizar e adaptar o Planeta Alpha as suas necessidades, de modo que tudo o que não condiz com sua agenda está fadado a extinção. Assim que você entrar no campo de visão de qualquer um deles, vai ser atingido por uma impiedosa rajada de raios que te matarão imediatamente.

A partir desse momento, os elementos de stealth são inseridos ao gameplay, e eles consistem basicamente em resolver os mesmo puzzles já descritos, sem ser detectado pelo inimigo, o que como pode-se imaginar, aumenta um tantinho a dificuldade do jogo.

A mecânica de jogo é bem polida e os controles funcionam a contento. Os puzzles não são necessariamente criativos, além dos momentos onde controlamos o ciclo de dia e noite no planeta, não veremos nada de extraordinário ao solucioná-los. Os elementos de stealth são bem inseridos ao gameplay e servem para aumentar a sensação de perigo que a invasão dos alienígenas hostis traz ao planeta e ao explorador, porém, mais uma vez, nada de novo no front. Mas Planet Alpha não se trata apenas de puzzles mirabolantes e como solucioná-los, mesmo com um avanço linear, o mundo criado pela Planet Alpha ApS é tão inventivo e deslumbrante, que este para mim, foi o ponto alto de todo o jogo.

UM PLANETA VIVO

Seguramente o design gráfico é o ponto alto de Planet Alpha, todos os cenários criados compões um universo único, incrivelmente imaginativo, que parece ter vida própria. Como se não fosse o suficiente, junte isso a uma trilha sonora arrebatadora, e você terá uma vaga idéia da experiência magnificamente imersiva que este jogo oferece.

CONCLUSÕES

Apesar de não oferecer nada de novo no que diz respeito aos elementos de plataforma e stealth, toda a mecânica de jogo é bem polida e os controles são bem responsivos, os puzzles são interessantes e em alguns momentos podem oferecer alguma dificuldade real. Mas a cereja do bolo, o elemento capaz de prender o jogador fica por conta do design de arte e da trilha sonora, em um mundo original, que traz os melhores elementos já criados em mundos de ficção científica, Planet Alpha é, seguramente, uma obra de arte que mostra o poder criativo das desenvolvedoras independentes, e reforça mais uma vez a necessidade de termos sempre os olhos voltados para o que é produzido nesse cenário.

Caso você já tenha se aventurado por títulos como Shadow of The Colossus e Journey, posso te garantir em Planet Alpha uma experiência jogo introspectiva e única que vai despertar os mesmos sentimentos que teve ao jogá-los.

Publicado em 24 de setembro de 2018 às 23:27h.
2018-09-24 23:27:12

  • Compartilhe: